Retrato falado pode identificar homem que estuprou menina de 9 anos em Antônio Cardoso

A menina de 9 anos que foi vítima de estupro na cidade de Antônio Cardoso continua internada no Hospital Estadual da Criança (HEC), em Feira de Santana, onde passou por duas cirurgias após sofrer hemorragia interna. O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (29/8). Após a mãe sair para o trabalho, um homem invadiu a residência e atacou a criança, que estava dormindo e foi surpreendida pelo estuprador.

O delegado Roberto Leal, coordenador regional de Polícia Civil, informou que os investigadores estão aguardando a perícia do Departamento de Polícia Técnica para saber se foi possível a coleta de materiais para chegar ao autor do crime. Ainda de acordo com o delegado, a polícia está trabalhando na confecção de um retrato falado do suspeito, através de relato da vítima. Ouça


https://centraldepolicia.olabahia.com.br/wp-content/uploads/2022/09/AUD-20220905-WA0014.mp3

O crime

A mãe, que preferiu não se identificar, contou que a menina estava dormindo e foi surpreendida pelo homem. “Ela se assustou e quando viu, o indivíduo já estava em cima dela, arrancando a roupa dela. Ela gritou, mas depois do primeiro grito ele tapou a boca dela, a respiração e a enforcou”, disse a mãe.

Depois de estuprar a criança, o suspeito fugiu e ainda não foi identificado pela polícia. Já a menina foi até a casa da vizinha pedir ajuda. A mulher ligou para o pai da menina, que foi até o local amparar a filha.

“Meu amigo me ligou e disse: ‘sua filha foi estuprada’. Eu saí de casa desgovernado e quando cheguei lá a minha filha estava sangrando e chorando. Ela dizia: ‘papai, me leva para casa’”, contou.

A criança foi levada para o Hospital Estadual da Criança (HEC), em Feira de Santana, onde passou por duas cirurgias. Nesta sexta-feira (1º), ela segue internada e com acompanhamento de psicólogos e assistentes sociais. O estado de saúde dela não foi divulgado.

De acordo com a família da vítima, a criança costuma dormir com a madrinha, pois a mãe sai de madrugada para trabalhar em uma outra cidade. No dia do crime, ela pediu para passar mais tempo com a mãe e seria buscada pela madrinha ainda durante a manhã.

Blog Central de Polícia, com informações de Sotero Filho e g1 – Fotos arquivo e reprodução.

Outras Notícias