Rodoviários fazem protesto por segurança

Motoristas e cobradores de ônibus fizeram carreata cobrando mais segurança. Foto: Reprodução/TV Bahia

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Motoristas e cobradores de ônibus fizeram carreata cobrando mais segurança. Foto: Reprodução/TV Bahia
Motoristas e cobradores de ônibus fizeram carreata cobrando mais segurança. Foto: Reprodução/TV Bahia

Rodoviários que atuam em micro-ônibus servindo a cidade de Salvador e a Região Metropolitana fizeram um protesto na manhã desta sexta-feira (27). Eles reivindicam segurança para o exercício da atividade.  Na última quarta-feira (25), o cobrador Robson Freitas dos Santos foi baleado depois que homens saquearam o ônibus.

De acordo com a Superintendência de Trânsito (Transalvador), aproximadamente 100 veículos seguiam em carreata pela Avenida Dorival Caymmi, região do bairro de Itapuã, no início da tarde. O grupo saiu da Alameda das Praias, na Praia do Flamengo, com destino ao bairro de São Cristóvão.

O cobrador Robson Freitas dos Santos perdeu um dos rins e permanece internado em estado grave após o assalto da última quarta-feira. Conforme informações da Cooperativa dos Trabalhadores em Transportes e Serviços Múltiplos da Grande Salvador (Coottrags), uma cobradora também foi vítima de arma de fogo.  Ela levou três tiros e ainda está em recuperação.

Em entrevista ao Correio, Marivaldo Pereira, presidente da Coottrags, disse que é necessário que a polícia faça abordagens em pontos perigosos e dentro dos ônibus. “Nossos carros são ignorados. Quando tem blitz no transporte nas rodovias, nós nunca somos parados para verificar se tem ou não um bandido dentro do carro. O índice de assaltos aumentou 50% ou mais”, disse. Ele afirma que o trecho mais perigoso fica entre Itapuã e a Estrada do Coco, na altura do Maxxi Atacado. A Coottrags registra 10 assaltos a micro-ônibus por dia.