Rui Costa acusado de retaliar Aspra retendo recursos de contribuição voluntária de policiais

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

O Governo da Bahia está deixando de repassar para a Aspra (Associação de Policiais Militares e Bombeiros do Estado) o valor de contribuição mensal dos policiais militares direcionada à entidade. A denúncia foi feita na Tribuna Livre da Câmara de Feira de Santana, nesta quarta (14), pelo coordenador do organismo sindical, Paulo Fernando dos Anjos. Encaminhado ao espaço popular da Casa pelo vereador e também PM Correia Zezito (Patriota), ele disse que a medida é uma retaliação do governador Rui Costa pelo fato de a Aspra ter anunciado a contratação de perícia para apurar sobre a morte do soldado Wesley Soares de Góes, baleado pelo BOPE na região do Farol da Barra, em Salvador, caso que ganhou repercussão nacional. Para os dirigentes da associação, o que houve foi “um assassinato”.

Segundo ele, a Aspra “começou a fazer a luta e o governador se irritou, decidindo por cortar o repasse de forma ilegal e ditatorial”. Dos Anjos, como é mais conhecido pela corporação, diz que a contribuição é voluntária e o Estado “não tem nenhum amparo jurídico nem determinação judicial para reter esses recursos”. O sindicalista lembra que o PT, legenda do governador, “brigou lá atrás pelo corte da contribuição sindical” e, agora, “adota essa medida, simplesmente mandando uma ordem para a Secretaria de Administração”.