Salvador ganha monumento em homenagem a mortos e desaparecidos na ditadura

Obra do artista plástico Ray Viana traz nomes como o de Marighella e o de Lamarca
Obra do artista plástico Ray Viana traz nomes como o de Marighella e o de Lamarca

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Um monumento de quatro metros de altura em homenagem a brasileiros que morreram e desapareceram no período da ditadura militar será inaugurado pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (28), às 17h, na praça do Campo da Pólvora, em Salvador. A obra é do artísta plástico baiano Ray Vianna. No monumento, uma placa traz o nome de 32  baianos, que lutaram durante a ditadura.  O Diário Oficial do Estado desta sexta também publica decreto assinado pelo governador Rui Costa que prorroga até 31 de dezembro de 2015 as atividades da Comissão Estadual da Verdade (CEV-BA). O fato acontece no dia do aniversário de sanção da Lei da Anistia. A Comissão Estadual da Verdade foi criada através do Decreto 14.227, de 10 de dezembro de 2012, para apurar e esclarecer casos de violação dos direitos humanos na Bahia praticados no período de 1964 a 1988. A comissão seria encerrada, conforme decreto que o criou, no próximo dia 31 de agosto.