Sócios aprovam novo estatuto do Vitória com eleição direta

Cerca de 200 sócios com poder de voto compareceram ao evento. Foto: Divulgação.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Cerca de 200 sócios com poder de voto compareceram ao evento. Foto: Divulgação.
Cerca de 200 sócios com poder de voto compareceram ao evento. Foto: Divulgação.

Após uma batalha judicial, os sócios do Leão aprovaram, por unanimidade, as modificações no estatuto do Vitória, neste domingo (20). A principal delas é a eleição do presidente através do voto direto. O substituto de Raimundo Viana, que tem mandato até dezembro de 2016, vai ser escolhido através de uma assembleia geral de sócios. Poderão concorrer aos cargos de presidente e vice-presidente da diretoria e do Conselho Deliberativo apenas os associados há mais de três anos de forma ininterrupta. Para votar, será preciso ser sócio há pelo menos um ano e meio. O voto vai ser estendido também para os sócios-torcedores do Sou Mais Vitória. Até agora, o benefício só era garantido aos sócios das categorias Patrimonial e Contribuinte.

Outra mudança é a formação do Conselho Deliberativo por 200 membros, definidos conforme a proporção de votos nas suas chapas. Um ano e meio de adimplência será a exigência mínima para concorrer a uma dessas vagas. A eleição ocorrera através de chapas com todos os seus integrantes previamente determinados: presidentes e vice-presidentes do Conselho Diretor e do Conselho Deliberativo, os 200 conselheiros e os membros do Conselho Fiscal. O sócio votará somente uma vez, em uma dessas chapas.

O estatuto modificado também exige dedicação exclusiva aos cargos de presidente e vice-presidente do Vitória, assim como estabelece remuneração a eles de 65% e 55%, respectivamente, do limite estabelecido para remuneração de servidores no Poder Executivo Federal (que hoje é de aproximadamente R$ 34 mil). De acordo com a organização da assembleia, realizada neste domingo na Fonte Nova, cerca de 200 sócios com poder de voto compareceram ao evento. O Leão tem aproximadamente 1.300 associados. Cerca de 150 torcedores, entre eles integrantes do Sou Mais Vitória, também assistiram ao debate.

Problemas na Justiça

A assembleia só ocorreu depois que membros do Conselho Deliberativo, entre eles o presidente do órgão, o deputado federal José Rocha (PR), entraram com um mandado de segurança na sexta-feira. Antes disso, na segunda, dois conselheiros descontentes com a reforma, Dilson Pereira Júnior e Juarez Dourado Wanderley, conseguiram uma liminar que impedia a realização da assembleia. Ligados ao grupo político do presidente Raimundo Viana, os sócios alegam que o presidente do conselho, José Rocha, não apreciou emendas feitas por eles mesmos no processo de reforma do estatuto.

Relator da comissão que reformou o documento, o conselheiro Antônio Carlos Rodrigues, o Cacau, não teme que o processo na Justiça derrube o que foi feito neste domingo. “Não há receio. A assembleia só aconteceu porque a própria Justiça reconheceu que ela foi convocada regularmente, por quem tinha os poderes para convocá-la e respeitando os prazos do estatuto”, afirma. “Foi garantido a esses conselheiros o direito de ir à assembleia defenderem suas emendas, mas eles não foram”, completa. A reportagem do A Tarde procurou, neste domingo, os dois autores do processo, mas não conseguiu entrar em contato.

Principais pontos do novo estatuto

Extensão dos direitos – Os sócios do programa Sou Mais Vitória terão direito a votar e a serem votados para presidente e conselho.
Prazo para votar – Serão precisos pelo menos 18 meses ininterruptos de associação para votar.
Prazo para ser votado – Somente associados há mais de três anos poderão concorrer a presidentes e vice-presidentes da diretoria e do Conselho Deliberativo.
Formação do conselho – O Conselho Deliberativo será formado por 200 membros, escolhidos de acordo com a proporção de votos nas suas chapas.
Diretoria remunerada – Presidente e vice-presidente do clube terão dedicação exclusiva aos cargos e remuneração.

Com informações do site do jornal A Tarde.