Vereador de Mutuípe pode ter mandato cassado

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
(Foto: Divulgação)
Galdino tem um filho de dois meses com uma menina que acabou de completar 14 anos (Foto: Divulgação)

O inquérito envolvendo o caso do vereador Valdomiro Galdino (PT), de 59 anos, do município de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, foi finalizado no fim da tarde da última sexta-feira (26) e encaminhado ontem (29) ao Ministério Público. Galdino tem um filho de dois meses com uma menina que acabou de completar 14 anos, o que se configura como estupro de vulnerável, como já apontava o relatório preliminar da Polícia Civil. As implicações destes acontecimentos podem chegar ao âmbito político, inclusive com o pedido de cassação do mandato do vereador. “A comunidade pediu que nós averiguássemos o caso e abrimos uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) que tem 90 dias para encerrar os trabalhos, o que pode levar o plenário da Câmara a pedir a cassação do vereador Valdomiro Galdino”, relata Júnior Cardoso (PR), presidente da Câmara de Vereadores de Mutuípe.

A CEI é composta por três vereadores: Paulo Argolo Barreto, presidente da Comissão; Edvaldo Santos, relator; e Adneia de Jesus Pereira, vogal – pessoa com direito a voto em uma assembleia. Segundo o presidente da Câmara, o vereador Valdomiro Galdino já foi convocado para prestar esclarecimentos, mas até agora não compareceu à comissão da Casa. A menor, os pais dela, o Conselho Tutelar de Valença, onde a adolescente mora com o vereador acusado, a Delegacia Territorial de Valença e o Ministério Público também devem ser ouvidos pela CEI de Mutuípe. A comissão foi instaurada em 21 de maio. Para cassar o vereador, a Câmara precisa ter oito votos dos 11 legisladores da Casa.