Voto impresso tem maioria para avançar na Câmara dos Deputados

Marcelo Nova, que tem o apoio do atual grupo à frente da diretoria da OAB Conquista, busca a união da OAB com ética e responsabilidade. Já Ubirajara Ávila propõe a renovação da Instituição. (Foto Ilustração)
Marcelo Nova, que tem o apoio do atual grupo à frente da diretoria da OAB Conquista, busca a união da OAB com ética e responsabilidade. Já Ubirajara Ávila propõe a renovação da Instituição. (Foto Ilustração)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Em tramitação na Câmara, a proposta do voto impresso nas eleições deve ser aprovada na comissão interna da Casa que analisa o tema. Dos 32 deputados do colegiado, 21 são favoráveis e apenas quatro se opõem. Outros sete afirmaram ainda estar indecisos.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, passou quatro horas debatendo o assunto com os parlamentares, afirmou que a medida representa um “retrocesso”, mas que, uma vez aprovado, o novo sistema será adotado.

O PT e a Rede são os únicos partidos que se colocaram contrários à medida na comissão. Uma vez aprovada no colegiado, a discussão da proposta vai aos plenários da Câmara e do Senado.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) em discussão na Câmara é da deputada Bia Kicis (PSL-DF), uma das aliadas mais próximas ao presidente Jair Bolsonaro, defensor ferrenho da proposta.

Nesta quarta, em evento com líderes evangélicos em Anápolis (GO), o presidente repetiu que a disputa de 2018, quando se elegeu, foi fraudada; caso contrário, teria vencido no primeiro turno. “A fraude que existiu me jogou no segundo turno. Tenho provas materiais disso”, disse Bolsonaro, sem apresentar qualquer prova.

Segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, a proposta tem o aval não apenas de governistas.