Aplicativo ‘Mapa do Racismo’ é uma proposta pioneira, lançada pelo MP-BA (Foto: Gabriel Gonçalves/ G1-BA)

Para atender a uma das demandas sociais da população majoritária, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) lançou o aplicativo Mapa do Racismo e Intolerância Religiosa.

A ferramenta é gratuita e o download pode ser feito em dispositivos dos sistemas android ou iOS

O mapa registra denúncias de discriminação racial, intolerância religiosa, injúria racial e racismo institucional. A ocorrência pode ser feita de forma anônima, para a preservação da imagem do indivíduo denunciante.


LEIA MAIS

Sergio Moro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A nomeação do juiz federal Sergio Moro como coordenador do Grupo Técnico de Justiça, Segurança e Combate à Corrupção do Gabinete de Transição Governamental está publicada no Diário Oficial da União de hoje (20), seção 2, página 2.

Ontem (19), foi publicada a exoneração – a pedido – de Moro, que, depois de 22 anos de magistratura, decidiu aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Justiça, que será ampliado.


LEIA MAIS

Ministério da Economia da Alemanha anunciou nesta segunda-feira (19) a suspensão da venda de armas e outros equipamentos militares para a Arábia Saudita. A medida também atinge vendas que já haviam sido aprovadas pelo governo alemão.
Já o Ministério do Exterior do país europeu anunciou a imposição de proibições de viagem a 18 cidadãos sauditas. A proibição vale para todo o espaço de Schengen e foi definida com a França e o Reino Unido (que não integra o espaço de livre circulação de Schengen).
As duas medidas são uma resposta à morte do jornalista e dissidente Jamal Khashoggi, que foi morto em outubro no consulado saudita em Istambul, na Turquia. O episódio abriu uma crise entre o governo saudita e seus aliados ocidentais. Agências de inteligência da Europa e dos EUA apontam que o mandante do crime foi o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, também conhecido pela sigla MbS.
Em outubro, após a revelação do caso, o governo alemão já havia anunciado a suspensão da autorização de novas vendas de armamento militar para o regime saudita, mas ainda não tinha esclarecido se a medida atingiria negócios previamente aprovados. Agora, a ampliação da suspensão deve atingir em cheio contratos já fechados, incluindo a venda de 20 barcos de patrulha que estão em construção num estaleiro do estado alemão de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental.
O governo alemão não identificou quem são os 18 sauditas que devem ficar impedidos de entrar na Alemanha e no espaço de Schengen, que inclui 26 países da Europa. Mas o governo alemão apontou que o grupo inclui 15 agentes de um comando que teria sido enviado para Istambul para cometer o crime e mais três suspeitos de participação na morte e ocultação do cadáver. O corpo do jornalista não foi localizado.
“As circunstâncias em que aconteceu esse horrível crime ainda não foram esclarecidas de modo satisfatório”, disse o porta-voz do governo da chanceler federal Angela Merkel, Steffen Seibert. Já o Ministério do Exterior reiterou que a Alemanha exige um “esclarecimento transparente” do ocorrido “segundo os padrões de um Estado de Direito”.

O Senado aprovou, na semana passada, incluir na pauta de votações da Casa um projeto que enfraquece a Lei da Ficha Limpa e diminui o período de inelegibilidade para políticos condenados antes de 2010. O texto, de autoria do senador Dalírio Beber (PSDB-SC), foi apresentado em outubro de 2017, dias depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter decidido que políticos condenados antes de 2010 deveriam cumprir oito anos de inelegibilidade, e não três, como ocorria anteriormente.

Na época, o tribunal discutia se a punição determinada pela Lei da Ficha Limpa, que entrou em vigor em 2010, valeria também para casos anteriores a essa data. Por maioria de seis votos, os ministros entenderam que sim. Pelo texto de Beber, os políticos que cumpriram os três anos de inelegibilidade já estariam aptos a concorrer novamente em eleições.
Em dezembro de 2017, sete líderes de partidos no Senado apresentaram um requerimento para que o projeto pulasse à frente de outros e fosse votado com urgência. O requerimento ficou meses parado. Só em novembro de 2018 é que a urgência foi aprovada e o projeto foi colocado na pauta de votação. Alguns senadores criticaram a medida na sessão em que foi votada a urgência.
“Essa matéria colocada em pauta para hoje foi feita ardilosamente na noite passada, sem tempo para conhecimento da quase totalidade dos senadores, aquilo que se costumar dizer na calada da noite “, afirmou o senador Lasier Martins (PSD-RS). “Está-se querendo trazer gente que era inelegível para poder ser agora elegível com a ficha meio limpa, meio suja. Ora, isso não existe. Ou a ficha é limpa, ou é suja. Não há meio termo”, concluiu o senador.
Na semana passada, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE) pediu que os líderes retirassem a urgência do projeto. Até agora não houve resposta. Eunício afirmou que se algum líder apresentar requerimento para que a proposta seja retirada da pauta, o pedido será colocado em votação. (G1)

Brittes já responde a dois processos por receptação de veículos roubados. (Foto: Reprodução)

Edison Brittes, assassino confesso da morte do ex-jogador do São Paulo Daniel Corrêa, pode fazer parte de uma rede criminosa. Enquanto a polícia apura o assassinato da vítima, encontrada morta com sinais de tortura dia 27 de outubro, em São José dos Pinhais, no Paraná, outro inquérito será aberto para investigar os bens de Edison Brittes.

“A Promotoria de Justiça, por dever de ofício, requisitou a instauração policial específica, que nada tem a ver com o homicídio, para apurar eventual atuação dele em organização criminosa”, afirmou o promotor de Justiça João Milton Salles, em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo.

De acordo com a reportagem, um dos fatos que levantaram suspeita é que, no dia do assassinato, o suspeito usava o chip de um homem executado em 2016. “Esse rapaz tinha como atividade principal a receptação e adulteração de veículos roubados”, disse o promotor.

Brittes já responde a dois processos por receptação de veículos roubados. Ele também já foi preso duas vezes por porte ilegal de armas. A última detenção ocorreu em junho deste ano. Conforme informações contidas no boletim de ocorrência, em depoimento, dentro da delegacia, Juninho Riqueza, como é conhecido pelos amigos, disse que, além de ser amigos de policiais, ia entrar em contato com o deputado estadual, Rubens Recalcalti.

O parlamentar, que aparece em um vídeo desejando parabéns à esposa de Brittes, Cristiana, é delegado aposentado e réu por assassinato cometido em 2015. “Esse processo é de uma abordagem policial, que adveio a morte do indivíduo que atirou contra a equipe policial”, justificou Claudio Dalledone, advogado de Rubens e Edison, acrescentando que o deputado não é amigo da família. “Era um compromisso político”.

O caso: O meia Daniel, ex-São Paulo e que estava emprestado ao São Bento, foi encontrado morto em um matagal em São José dos Pinhais, no Paraná, no último dia 27. Ele foi achado nu, com o pescoço cortado em dois lugares e o pênis decepado. Até o momento, sete pessoas já foram presas. O casal Edison e Cristiana Brittes, além da filha, Allana, serão indiciados por homicídio qualificado e coação de testemunhas pela morte do jogador. Outros quatro jovens, sendo um deles primo de Cristiana, também foram detidos.

Gabriel participou do roubo seguido de morte contra Michel, no dia 16 de agosto deste ano, na capital baiana. (Foto: Reprodução)

O homem apontado pela polícia da Bahia como autor do latrocínio contra o assessor da Prodeb, Michel Batista de Sá, em Salvador, foi preso no início da manhã de hoje (19), no estado de Santa Catarina. A vítima foi morta a tiros após ser torturada durante a negociação da venda de um carroSegundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Gabriel Bispo dos Santos estava escondido na cidade de Pomerode (SC), e foi achado em uma ação conjunta com a Superintendência de Inteligência da SSP-BA e Polícia Civil de Santa Catarina.

Conforme apontam as investigações, Gabriel participou do roubo seguido de morte contra Michel, no dia 16 de agosto deste ano, na capital baiana. Ainda no mês de agosto, a polícia informou que encontrou elementos que indicam a participação de Gabriel no crime e pediu a prisão temporária dele.

O rapaz de 22 anos estava foragido. Delegados e investigadores do DCCP estão formalizando o cumprimento do mandado de prisão, em Santa Catarina, e em seguida realizarão a transferência de Gabriel para Salvador.

A atriz de 76 anos também afirmou que não escondeu a doença. (Foto: Tv Globo)

A atriz Susana Vieira falou sobre a leucemia que enfrenta há três anos em entrevista ao Fantástico, ontem (18). Ela contou porque preferiu manter a doença na sua vida privada, sem falar do assunto publicamente até agora. “Quando você fica doente, todos nós que somos produtivos e independentes, existe um medo de você ficar dependente. Existe medo do desemprego. Existe medo da solidão. Existe a vergonha de você ficar doente. Tive medo de morrer. Se a morte chegar, eu acho que vou esbofeteá-la”, afirmou.

“A primeira pergunta que eu fiz pra ele (o médico): Eu vou morrer quando?”, disse Susana para Poliana Abritta, que conduziu a entrevista “A segunda pergunta foi: Vou perder meu cabelo?. Porque a gente é mulher e morrerá mulher, e cabelo para nós é algo tão importante, um trauma que só nós sabemos.”Susana relembrou uma internação no final de 2017, quando ficou extremamente fraca após uma viagem para Miami, onde visitou o filho e os netos. “Fui para lá ver meus netos, meu filho. Peguei um resfriado, uma gripe horrorosa, entrei no avião sem ar nenhum. Cheguei aqui e não conseguia subir a escada da minha casa. Minhas pernas falharam. Isso era final de 2017”, recontou. “Tiveram que trocar fralda em mim porque eu não podia me levantar. Isso foi muito pesado. Digo pelo lado da vaidade, da TV. Aí bateu, você vê que está doente”, avaliou.
Ela contou que seu filho e sua nora foram apoios essenciais enquanto esteve na CTI. “Meu filho tem um bom humor… E a minha nova nora… Ela tranquilizou a mim e a meu filho (…) Ela começou a me manter viva”, afirmou, elogiando o astral da nora.
A atriz de 76 anos também afirmou que não escondeu a doença. “Não é que escondi, não tinha porque sair propagando até ver como a doença ia se portar em mim”, disse. Ela continuou trabahando – quando foi diagnosticada, estava na novela “A Regra do jogo”. “Perguntei se ia poder continuar gravando, e o médico disse que sim. Mas médico não sabe o que é gravar novela, são dez horas de trabalho por dia, e você precisa estar viva. E eu fiz a dona daquele morro, a Adisabeba. Fiz um ano inteiro daquele programa que me divertia, o Vídeo Show. Aquilo foi outra terapia. E eu fiz o seriado Os Dias Eram Assim, isso tudo com a doença”, lembrou. A veterana contou ainda que estará em uma nova novela em 2019.
Questionada se perdeu os cabelos, Susana disse que era “óbvio” que esse assunto a preocupa. “Você acha que eu não boto megahair e não fico preocupada quando cai um pedaço, se é o mega e o cabelo?”. Ela passou por sessões de quimioterapia, mas o tratamento não afetou sua aparência.
A atriz diz que lidou com a notícia sem revolta. “Eu não me revoltei um minuto, em nenhum momento eu perguntei pra Deus: Por que eu?. Eu aceitei”, lembrou ela. “O médico disse que eu vou morrer, sim. Mas não necessariamente dessa doença.”

O tratamento cirúrgico é recomendado em casos específicos, quando o grau de obesidade ou de doenças associadas com risco de morbidade (Foto: Reprodução/ Site Pop Mundi)

Na próxima sexta-feira (23), será realizado o IV Simpósio de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, promovido pelo NTCO, em Salvador, no Auditório Adélia Carvalho, no Centro Médico do Hospital Português. As inscrições são gratuitas e conta com o apoio do Colégio Brasileiro de Cirurgiões – Capitulo Bahia e é voltado a profissionais e estudantes das áreas de saúde (médicos, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, odontólogos, enfermeiros, fonoaudiólogos e educadores físicos). Mais informações pelo site do NTCO.

Desafios no acompanhamento clínico dos pacientes operados, como hipoglicemia, reganho de peso, etilismo, depressão e deficiências nutricionais; a experiência de um centro de referência em cirurgia bariátrica e metabólica e o futuro da cirurgia bariátrica e metabólica são alguns dos assuntos que serão abordados no evento, que tem como tema central ‘Educação Continuada em Cirurgia Bariátrica: Desafios e Inovações’. O cirurgião Pedro Luiz Bertevello (SP) fará uma palestra magna sobre o tema “A Importância da Educação Profissional na Cirurgia Bariátrica”.

O tratamento cirúrgico é recomendado em casos específicos, quando o grau de obesidade ou de doenças associadas com risco de morbidade torna a cirurgia uma alternativa mais eficaz e resoluta. A cirurgia bariátrica promove a mudança de hábitos e a qualidade de vida do paciente com o objetivo de fazê-lo ter uma vida mais saudável e longa.

Castello Branco já ocupou cargos de direção no Banco Central e na mineradora Vale. (Foto: Reprodução / AFP)

O economista Roberto Castello Branco aceitou o convite para presidir a Petrobras no futuro governo de Jair Bolsonaro. A informação foi confirmada na manhã de hoje (19), pela assessoria do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, por meio de nota distribuída à imprensa. “O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, recomendou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, a indicação para a presidência da Petrobras de Roberto Castello Branco, que aceitou o convite”, diz o documento.

Economista com pós-doutorado pela Universidade de Chicago e extensa experiência no setores público e privado, Castello Branco já ocupou cargos de direção no Banco Central e na mineradora Vale. A nota da assessoria de Guedes ainda informa que o economista também já fez parte do Conselho de Administração da Petrobras e desenvolveu projetos de pesquisa na área de petróleo e gás. Atualmente, ele é diretor no Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da Fundação Getúlio Vargas (FGV).
O atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, permanece no comando da estatal até a nomeação do novo presidente. Mas, conforme o jornal O Estado de S. Paulo apurou, o futuro governo deseja que Ivan Monteiro continue na gestão Bolsonaro. Há conversas para que ele assuma o comando do Banco do Brasil. Caso essa negociação se confirme, o comando da Caixa poderia ficar nas mãos de Rubem Novaes, ex-diretor do BNDES e professor da FGV, ou de Pedro Guimarães, sócio do Banco Brasil Plural.

Se Josefine Staats estiver certa, a alga vermelha Kappaphycus pode ser um verdadeiro redentor ambiental – pelo menos quando se trata de plástico.

“As algas não precisam de solo para crescer. Não precisam de fertilizantes ou pesticidas e crescem rapidamente”, diz a empresária berlinense. Staats administra uma empresa de alimentos naturais e quer transformar as algas marinhas em bioplástico.

A vantagem é que o bioplástico feito de algas teria a mesma aparência do comum sem ser feito à base de petróleo e seria biodegradável, explica Staats.

A berlinense não é a primeira pessoa a promover a ideia de plásticos à base de algas num momento em que alternativas adequadas aos plásticos convencionais são urgentemente necessárias.

Grande parte das mais de 300 milhões de toneladas do material à base de petróleo produzido a cada ano acaba poluindo o meio ambiente. A Agência Internacional de Energia (AIE) estima que a quantidade de petróleo usada para produzir todo esse plástico aumentará de 12 milhões de barris por ano, em 2017, para 18 milhões de barris anuais, até 2050.


LEIA MAIS

Unit´