Uma homenagem às vítimas do tiroteio na escola Raul Brasil é retratada em Suzano, Estado de São Paulo, Brasil, em 18 de março de

A polícia apreendeu um menor de idade suspeito de ter participado da organização do atentado que levou ao massacre de seis estudantes e dois funcionários da Escola Estadual Raul Brasil, na última quarta-feira (13), na cidade de Suzano, em São Paulo.

Os dois autores do crime também morreram.

Como se trata de um menor de idade, portanto inimputável, ele ficará à disposição da Justiça.

O pedido de apreensão foi formulado pela polícia. Num primeiro momento, o Ministério Público foi contra, mas a polícia insistiu e agora obteve com a Justiça a tutela do Estado.

Foto: Reprodução

A equipe de criadores de “Os Simpsons”, James L. Brooks, Matt Groening, Al Jean, Matt Selman e Harry Shearer, comemorará o 30º aniversário da série no Festival de Cinema de Tribeca, em Nova York, de acordo com a organização do evento.

O festival contará com a exibição de dois episódios (“Marge vs the Monorail” e “The Day the Earth Stood Cool”) e um painel de conversa moderado por Yeardley Smith, que dá voz a Lisa Simpson no desenho, no qual os criadores analisarão o seu “legado” na história da televisão.

Em sua primeira visita oficial aos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro será recebido nesta terça-feira (19) pelo colega norte-americano Donald Trump na Casa Branca.

Bolsonaro e a comitiva de ministros e assessores que o acompanhou à América do Norte desembarcaram no último domingo (17) em Washington. Eles retornam para Brasília na noite desta terça.

Nos últimos dois dias, o presidente brasileiro participou de um jantar na casa do embaixador brasileiro Sérgio Amaral, foi à Câmara de Comércio e visitou a sede da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) na capital norte-americana.

Bolsonaro abre o último dia de compromissos em Washington com uma audiência com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro (leia ao final desta reportagem a agenda completa do último dia do presidente brasileiro nos Estados Unidos).

Compromisso mais aguardado da agenda de Bolsonaro nos EUA, o primeiro encontro com Donald Trump ocorrerá no início da tarde na Casa Branca. Os dois chefes de Estado conservadores devem discutir durante a audiência comércio bilateral, parcerias estratégicas na área militar e a situação política e econômica da Venezuela.

Críticos contundentes do regime bolivariano, Trump e Bolsonaro não reconhecem a legitimidade do novo mandato do presidente venezuelano Nicolás Maduro. Os presidentes dos EUA e do Brasil estão entre os primeiros chefes de Estado a reconhecer o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó.

Trump já admitiu que enviar militares para o país sul-americano “certamente é uma opção”. O governo brasileiro tem repetido que não participaria de uma intervenção na Venezuela, porém, Bolsonaro citou nesta segunda (18) a capacidade “bélica” dos norte-americanos ao dizer que é preciso “resolver a questão da Venezuela”.

No início desta madrugada, Bolsonaro concedeu entrevista ao canal Fox News, e disse querer que a Venezuela “volte à democracia” e que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro. Ele também defendeu o muro na fronteira com o México para barrar imigrantes.

Após o encontro na Casa Branca, Bolsonaro e Trump farão uma declaração à imprensa. Na sequência, o presidente brasileiro visitará o cemitério nacional de Arlington. Criado em 1860 e localizado em uma colina em frente à cidade de Washington, o cemitério é o local onde estão os restos mortais de 400 mil soldados americanos e de outros 11 países e é visitado anualmente por cerca de 4 milhões de pessoas.

Bolsonaro e Trump

Jair Bolsonaro e Donald Trump terão a primeira reunião bilateral em um momento no qual o Brasil defende intensificar as relações diplomáticas com os EUA.

Alinhados ideologicamente, os dois políticos têm em comum o discurso contrário à esquerda e ao sistema política, além do hábito de criticar a cobertura da imprensa tradicional. A rede CNN já definiu Bolsonaro como “Trump dos trópicos”.

Ao parabenizar o colega brasileiro no ano passado pela vitória na eleição, o presidente dos Estados Unidos disse que desejava trabalhar com Bolsonaro nas áreas militar e de comércio.

Nesta segunda-feira, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que a expectativa da comitiva brasileira é “ótima” em relação ao encontro entre os presidentes de Brasil e EUA. Segundo o porta-voz, Trump demonstrou sua “fidalguia” ao hospedar o integrantes da comitiva presidencial na Blair House, uma distinção reservada a poucas autoridades.

Veja a agenda oficial de Bolsonaro nesta terça-feira em Washington (horário de Brasília):

  • 10h30: Encontro com Luis Almagro, secretário-geral da OEA
  • 13h00: Chegada à Casa Branca
  • 14h45: Conferência de imprensa
  • 15h30: Chegada ao Cemitério Nacional de Arlington para cerimônia de deposição floral
  • 18h00: Reunião com lideranças religiosas norte-americanas
  • 19h30: Jantar de trabalho
  • 22h45: Partida para Brasília

Fonte: G1

Presidente Jair Bolsonaro participa de evento na Câmara de Comércio dos EUA. REUTERS/Erin Scott

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira que o Brasil quebrará se não for aprovada uma reforma da Previdência “robusta” e, ao mesmo tempo que voltou a reconhecer que o Congresso Nacional tem prerrogativa de alterar a proposta sobre o assunto encaminhada pelo governo, disse torcer para que o texto não sofra ajustes.

“Se o Brasil não fizer uma reforma da Previdência de forma robusta, nós quebraremos”, disse o presidente em uma transmissão ao vivo em rede social do filho Eduardo Bolsonaro, deputado do PSL, que o acompanha em visita oficial aos Estados Unidos.

“A gente sabe que a reforma da Previdência é dura. Gostaria de não fazer, mas se não fizer, daqui dois, três anos quebra o Brasil e ninguém recebe nada. Logicamente o Congresso tem autoridade, tem liberdade para fazer alguns ajustes. A gente torce para que não haja nenhum ajuste, mas o Congresso tem esse poder de fazer algum reajuste lá”, acrescentou Bolsonaro na transmissão feita na Blair House, onde está hospedado na capital norte-americana.

Na transmissão, Bolsonaro também garantiu que a proposta de reforma da Previdência dos militares, que irá por projeto de lei pois não necessita de mudança na Constituição, seguirá para a Câmara dos Deputados na quarta-feira. O presidente procurou tranquilizar as Forças Armadas afirmando que o texto que será encaminhado será justo.

“Pode ter certeza, essa proposta vai ser justa”, disse Bolsonaro, que na terça-feira se reunirá na Casa Branca com o presidente dos EUA, Donald Trump. “Tenham certeza que haverá sensibilidade por parte do Ministério da Defesa para corrigir possíveis equívocos, que podem acontecer, somos seres humanos”, acrescentou.

Fonte: Reuters

Em um dia de otimismo no mercado financeiro, a bolsa de valores bateu recorde e encostou em 100 mil pontos. O dólar caiu para o menor valor em duas semanas. O indicador Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), fechou esta segunda-feira (18) em 99.994 pontos, com alta de 0,86%. Durante a tarde, o indicador chegou a superar os 100 mil pontos, cedendo nos momentos finais de negociação.

Bovespa bate recorde – Reuters/Direitos Reservados

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou vendido a R$ 3,792, com recuo de R$ 0,029 (-0,76%. Em queda pela segunda sessão consecutiva, a divisa está no valor mais baixo desde 1º de março, quando tinha encerrado em R$ 3,78.

Esta semana é marcada por decisões importantes na economia, tanto no cenário interno como no exterior. No Brasil, o governo entregará, na quarta-feira (20), a proposta de reforma nas aposentadorias e pensões dos militares. Também nesta semana, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados começa a discutir a reforma da Previdência.

O Comitê de Política Econômica do Banco Central (Copom) decide, também na quarta-feira, a taxa Selic (juros básicos da economia). Essa será a primeira reunião coordenada pelo novo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Também na quarta, o Federal Reserve (Fed), Banco Central dos Estados Unidos, decide os juros da maior economia do mundo.

Fonte: Agência Brasil

Uma idosa de 92 anos foi encontrada caída no chão, espancada e com sinais de estupro pela filha, ontem (17), na cidade de Nobres (MT). Segundo o jornal Extra, Maria Barbosa dos Santos chegou a ser levada para o hospital, em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde. Uma testemunha informou à polícia que o suspeito tinha feito um trabalho de pintura na casa da vítima dias antes. Os policiais encontraram uma sandália do rapaz, de 29 anos, na residência da idosa e o prenderam horas depois. O homem estava usando uma tornozeleira eletrônica quando foi detido. Ele já possui passagens pela polícia por furto e roubo. Preso, ele responderá por estupro e homicídio.

O ex-magistrado também tem encontro com representantes do Departamento de Justiça dos EUA (Foto: Reprodução)

A agenda do ministro Sérgio Moro (Justiça) nos EUA também inclui um encontro, nesta tarde de segunda, 18, com o diretor do FBI, Christopher Wray, para assinar um “acordo de cooperação interinstitucional para a troca de informações biométricas entre a Polícia Federal e o FBI”, diz a pasta. Já o presidente Jair Bolsonaro teve uma “visita surpresa” à agência de inteligência CIA pela manhã. O ex-magistrado também tem encontro com representantes do Departamento de Justiça dos EUA, em que será discutido o interesse do Brasil em obter dados de pessoas investigadas do Facebook e do aplicativo WhatsApp para subsidiar investigações. Moro está acompanhado do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, da Diretora do Departamento de Recuperação e Ativos e Cooperação Internacional, Erika Marena, e do diretor de Investigação e Combate Organizado da PF, Igor de Paula. As informações são do BR18, blog de política do Estadão.

Representantes dos governos do Brasil e dos Estados Unidos assinaram, nesta segunda-feira (18), em Washington (EUA) um acordo de salvaguardas tecnológicas (AST) para permitir o uso comercial do centro de lançamento de Alcântara, no Maranhão.

Na prática, o acordo prevê que os Estados Unidos poderão lançar satélites e foguetes da base maranhense. O território continuará sob jurisdição brasileira. O acordo foi assinado em uma cerimônia na Câmara Americana de Comércio. Do lado do Brasil, assinaram o acordo os ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). O presidente Jair Bolsonaro acompanhou a assinatura.

Bolsonaro está em visita oficial aos EUA e terá um encontro nesta terça-feira (19) com o presidente norte-americano Donald Trump. O compromisso entre os países é um dos principais atos previstos para a viagem de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, o conteúdo do acordo ainda não havia sido divulgado.

Para entrar em vigor, o acordo exige a aprovação do Congresso Nacional, de acordo com o embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Amaral.

O acordo de salvaguardas tecnológicas entre Brasil e EUA é negociado desde os anos 2000, chegou a ser assinado, porém foi rejeitado pelo Congresso brasileiro. O compromisso tem cláusulas que protegem a tecnologia usada pelos dois países.

Na semana passada, Bolsonaro defendeu a assinatura do acordo ao fazer um pronunciamento em uma rede social. Segundo o presidente, o Brasil está “perdendo dinheiro” há muito tempo por não explorar a base de forma comercial. Mais cedo, nesta segunda, em um vídeo publicado nas redes sociais, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, também defendeu a medida.

Marcos Pontes destacou que o ato respeita a soberania do Brasil, já que a base fica no Maranhão, e que o governo brasileiro buscará firmar acordos com outros países no futuro. “É importante ressaltar, como eu já falei ontem, que isso não fere de maneira nenhuma nossa soberania”, disse.

“É um contrato importante, feito naturalmente agora com os EUA e, provavelmente, com outros países em um futuro próximo, também, que nos permita lançar outros foguetes e outras espaçonaves de outros países”, acrescentou. Pontes ainda informou pelas redes sociais que se reuniu com executivos da empresa SpaceX para tratar da possibilidade de lançamentos de satélites da companhia no Brasil. (G1)

O elevador está instalado na área externa da Mansão Carlos Costa Pinto, prédio de luxo, que possui 18 andares e um apartamento por andar. (Foto: Reprodução)

Nesta segunda-feira (18), dois homens morreram após o elevador que eles estavam despencar de um prédio no Corredor da Vitória, Salvador. Informações iniciais apontam que uma das vítimas tinha 17 anos. O Samu confirmou os óbitos e informou que outro homem, de 44 anos, ficou ferido. A vítima, que teve uma lesão no tornozelo, foi socorrida e levada para o Hospital Geral do Estado (HGE). Não há detalhes do estado de saúde do homem.

O elevador está instalado na área externa da Mansão Carlos Costa Pinto, prédio de luxo, que possui 18 andares e um apartamento por andar. Segundo informações da delegada Carmen Dolores, da 14ª DT da Barra, as vítimas caíram do 5º andar. Não há detalhes da altura os homens caíram.

O equipamento que despencou estava instalado para a realização de serviços no local. A equipe do G1 esteve no local. Nenhum funcionário ou representante da administração do edifício quis falar com a imprensa. Também não há detalhes do que causou a queda do elevador.Equipes da Polícia Militar e do Samu estiveram no local. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi acionado e, por volta das 14h30, os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML). O caso será investigado na 14ª Delegacia, que fica no bairro da Barra.Em nota, o Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que instaurou inquérito para apurar as responsabilidades sobre o acidente. Ainda segundo o órgão, os três operários que estavam no elevador quando o equipamento despencou estavam trabalhando sustentados por uma corda presa no terraço.

Conforme o MPT, não havia indicação clara de eles usavam os equipamentos de proteção individual e coletiva exigidos para este tipo de trabalho. O Ministério Público do Trabalho afirmou, ainda, que dois auditores do órgão estiveram no local logo após o acidente, e que o inquérito vai verificar a responsabilidade sobre a contratação do serviço e a adoção das medidas de saúde e segurança exigidas para tais atividades. (G1)

 

Foto: Reprodução

A estatal Petrobras elevará os preços da gasolina em suas refinarias a partir da terça-feira para 1,8326 real por litro, alta de 0,5 por cento, enquanto o diesel terá queda de 1,94 por cento, para 2,1446 reais por litro, segundo informações no site da estatal. Com o reajuste, as cotações da gasolina tocam o maior valor desde 2 de novembro do ano passado, quando o litro era negociado a 1,8466 real por litro nas refinarias da Petrobras. Já o diesel recua após ter ficado desde 8 de março em 2,1871 reais por litro. A Petrobras tem praticado reajustes até diários dos combustíveis, em política que visa a busca da rentabilidade e segue parâmetros como as cotações no mercado internacional e o câmbio.

 

Unit´