Brasil enfrenta o Peru hoje, mas vendas para torcida são tímidas

Comércio ambulante está instalado nos arredores da Arena Fonte Nova. Foto: Romildo de Jesus.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Comércio ambulante está instalado nos arredores da Arena Fonte Nova. Foto: Romildo de Jesus.
Comércio ambulante está instalado nos arredores da Arena Fonte Nova. Foto: Romildo de Jesus.

Após pouco mais de dois anos sem jogar em Salvador, a seleção brasileira volta à Arena Fonte Nova, às 21h desta terça-feira (17), para enfrentar o Peru em jogo válido pela quarta rodada das eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia em 2018. Se ganhar, a equipe canarinho deve se manter entre os quatro primeiros colocados que garantem vaga direta para o Mundial.

Todos os ingressos foram vendidos com antecedência e o duelo marca o primeiro jogo do atacante Neymar em solo brasileiro pelas eliminatórias. Mesmo com todas essas nuances, nem todo mundo tem motivos para comemorar. Principalmente os vendedores ambulantes. Na manhã da segunda-feira (16), próximo à Arena, havia apenas uma pessoa que se arriscou a tentar vender alguma coisa.

Vindo de Feira de Santana, o vendedor Pedro Hilário reclamou das vendas abaixo do esperado, apesar do varal montado em frente à Arena. Enquanto as camisas estavam sendo vendidas a R$ 25, bandeiras e bonés custavam R$ 10 e R$ 12 respectivamente. “Mas, não dá nem para faturar”, declara o ambulante. Ele, que trouxe pouco mais de 100 itens alusivos à Seleção, espera que as coisas melhorem, principalmente à medida que o horário do jogo se aproxime.

Além da crise, Pedro Hilário atribui a baixa venda a outro fator que ainda mexe com a cabeça do torcedor brasileiro: a goleada de 7×1 sofrida diante da Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo do ano passado, no Mineirão, em Belo Horizonte. “Ainda hoje o torcedor anda desconfiado e estamos vendo que a seleção não vem jogando esse futebol todo. A última partida, contra a Argentina, foi um exemplo disso”, afirma o vendedor.

Sorte

Mesmo com alguns episódios marcantes – e até tensos – na relação entre o Brasil e a torcida baiana, geralmente Salvador traz sorte à Seleção. Em 12 partidas, foram sete vitórias e cinco empates. Esse retrospecto é o que tem levado os torcedores a acreditar em mais um triunfo da equipe. “Eu estou confiante na Seleção e acredito que iremos para a copa”, conta o guardador de carros, Augusto Almeida, que apostou no placar de 3×0. Já o taxista, Paulo Mesquita, criticou o atual futebol apresentado, mas acha que o Brasil vence, por 2×0, sem dificuldades. “Só acho uma pena que não tenhamos mais àquele toque de bola e um meio de campo entrosado”, lamenta Mesquita.

Com informações do site do jornal Tribuna da Bahia.