Cerca de 30 mil servidores receberão menos que o salário mínimo

Foto: reprodução
Foto: reprodução

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

“Aquelas mesmas mãos que na campanha afagaram os servidores, hoje, se fecharam”, alfinetou o deputado estadual Carlos Geilson, ao criticar a postura dos parlamentares da base do governo, que foram favoráveis ao projeto de reajuste questionado e protestado pelos servidores. Mesmo com votos contra dos deputados da oposição, o reajuste foi aprovado na Assembleia Legislativa na noite desta quarta-feira (6/5), com parcelamento do percentual de 6,41% concedido em duas parcelas, sendo 3,5% retroativo a março e 2,9% em novembro.

De acordo com Geilson, com esse reajuste dado pelo Poder Executivo cerca de 30 mil funcionários não chegarão a receber sequer o teto do salário mínimo. Ele ainda lembrou alguns episódios durante a campanha eleitoral, quando o então candidato ao governo, Rui Costa, acusava o ex-governador Paulo Souto de não valorizar o servidor. “E o que faz o Partido dos Trabalhadores hoje? Rui Costa prometeu até pagar o dinheiro da URV aos servidores durante debate na campanha eleitoral e hoje vira as costas para eles”.

“A oposição tinha apresentado uma emenda que concedia esse aumento retroativo a janeiro, que é a data-base do funcionalismo público estadual, uma conquista dos trabalhadores, que foi jogada no lixo nesta noite”, salientou Geilson. O deputado destacou o choro e a tristeza dos servidores que estavam nas galerias da ALBA, e foram embora decepcionados com a falta de sensibilidade do governo.

Foto: reprodução
Foto: reprodução