Embasa pede intervenção federal para problema de abastecimento no Sudoeste

Devido à redução da vazão do rio Pardo, em decorrência da ausência de chuvas na região, não tem sido possível captar água suficiente (Foto: Reprodução)
Devido à redução da vazão do rio Pardo, em decorrência da ausência de chuvas na região, não tem sido possível captar água suficiente (Foto: Reprodução)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Devido à redução da vazão do rio Pardo, em decorrência da ausência de chuvas na região, não tem sido possível captar água suficiente (Foto: Reprodução)
Devido à redução da vazão do rio Pardo, em decorrência da ausência de chuvas na região, não tem sido possível captar água suficiente (Foto: Reprodução)

Tem causado preocupação à população dos municípios de Belo Campo, Encruzilhada e Itambé – Região Sudoeste Baiana – a queda no fornecimento de água. Com isso, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) solicitou a intervenção da Agência Nacional de Águas (ANA) através de nota. A Embasa informou que, devido à redução da vazão do rio Pardo, em decorrência da ausência de chuvas na região, não tem sido possível captar água suficiente para o pleno atendimento dos sistemas de abastecimento das cidades. “Para solucionar o problema, a empresa solicitou à Agência Nacional de Águas (ANA) a abertura das comportas da barragem Machado Mineiro, em Minas Gerais, o que possibilitará a captação do volume de água necessário para normalizar o fornecimento de água em toda a cidade”, diz o comunicado. A Embasa também solicita a compreensão da população e recomenda a utilização racional da água armazenada nos reservatórios domiciliares, evitando desperdícios.