Estado põe à venda instalações da antiga Usina de Algodão e pode enfrentar movimento contra medida

04052021120852

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
A possível venda, anunciada recentemente pelo Governo do Estado, da área onde funcionou  a antiga Usina de Algodão, na rua Senador Quintino, nº 523, bairro Olhos D’Água, em Feira de Santana, enfrenta reações na Câmara. O vereador Galeguinho SPA (PSB) conclamou os seus pares nesta terça (4), em pronunciamento na Casa, para um movimento contrário à comercialização do terreno de cerca de 30 mil metros quadrados em razão de que aquelas  instalações possuem  valor cultural histórico para o Município.
Segundo noticia a imprensa, o governador Rui Costa enviou à Assembleia Legislativa da Bahia, dia 28 de abril, um Projeto de Lei pedindo autorização para  vender imóveis em Salvador e municípios do interior do Estado, entre os quais o que sediou por décadas a Usina de Algodão, nesta cidade. O valor adquirido através da venda destes bens deverá ser destinado ao Fundo Financeiro da Previdência Social dos Servidores Públicos da Bahia (Funprev).
Galeguinho defende a manutenção daquelas edificações sob a responsabilidade do poder público e sugere o seu aproveitamento para funcionar ali um Centro de Formação Profissional ou mesmo o futuro Hospital Municipal a ser erguido pela Prefeitura. “O Governo do Estado precisa ter sensibilidade. Os prédios que continuam de pé naquele terreno são importantes para a memória dos feirenses e não devem, jamais, serem entregues à iniciativa privada para demolição”, protesta.
ASCOM