Mitos e verdades sobre pedras nos rins

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
  1. Tomar leite ajuda a formar cálculo renal

 

Mito. Fala-se muito que o leite deve ser evitado porque tem cálcio na composição e pode provocar o surgimento de pedra nos rins. Na verdade, tirá-lo da dieta pode causar outro problemão: a osteoporose (enfraquecimento dos ossos). Nelson Gattás, da Universidade Federal de São Paulo, orienta que é necessário tomar pelo menos uma xícara de leite por dia. Essa regra vale principalmente para as mulheres.

 

  1. O cálcio é o grande vilão dos rins

 

Mito. Alguns especialistas tornaram-se defensores do cálcio nos últimos anos. A principal razão para essa mudança de opinião é que a ausência dele no corpo diminui a eliminação de oxalato, substância que compõe o cálculo renal. Ou seja: na verdade o cálcio ajuda a evitar a doença.

 

  1. Beber muita água é o melhor remédio

 

Verdade. Todos sabem como é importante tomar água para prevenir a formação de pedras nos rins. Mas preste atenção no modo como você faz isso. Evite beber muita água apenas de manhã e se esquecer desse hábito pelo resto do dia. A dica é tomar um copo de água a cada duas horas.

 

  1. Quem já teve uma vez com certeza terá de novo

 

Mito. De cada 100 pessoas que tiveram pedra nos rins, 50 terão novamente em dez anos. Para evitar o retorno do problema, é preciso cuidar da alimentação. A pessoa deve comer menos proteína (carnes, salsicha, bacon, mortadela, salame e lingüiça), usar menos sal na comida e beber muito mais água.

 

  1. Cerveja evita esse mal

 

Verdade. Assim como o café, ela estimula o fluxo urinário e pode auxiliar na prevenção. Mas não se esqueça de que a cerveja é uma bebida alcólica. Então, modere!

 

  1. Comer feijão faz mal

 

Mito. O feijão tem oxalato, substância das pedras. Mas a nutricionista Marília Pinheiro diz que quando ele fica de molho na água antes de ser cozido, parte do oxalato é perdida.

 

  1. Expelir a pedra dói como parto

 

Mito. Há pacientes que até gritam de dor, enquanto outros não sentem nada. O grau do incômodo depende da posição da pedra: quanto maior a obstrução da urina, maior será a dor.

 

  1. O problema é genético

 

Verdade. Não é porque seus pais tiveram pedra nos rins que você obrigatoriamente terá. Mas fique alerta: 10% dos casos ocorrem por causa de algum fator genético. Lembre-se de que os hábitos alimentares passam de geração em geração. Então, nada como uma alimentação regulada para pôr fim a essa herança.

 

  1. Falta de exercício ajuda a provocar a doença

 

Mito. Não há estudos provando que exercícios evitam o cálculo renal, mas é bom praticar atividades físicas com frequência. Afinal, o sedentarismo quase sempre está acompanhado da má alimentação.

 

  1. Há um tratamento de choque

 

Verdade. Quando as pedras não são eliminadas com a urina, há dois tratamentos: um aparelho que emite choques hidráulicos sobre a barriga e a cirurgia endoscópica.

 

  1. A principal causa é a dieta desregulada

 

Verdade. A doença está diretamente associada a hábitos alimentares errados. Se você gosta muito de sal, refrigerantes, embutidos e enlatados, cuidado! Você está dentro do grupo de risco. Mantenha uma dieta rica em frutas e vegetais.