Sobe para quatro o número de casos confirmados de sarampo na Bahia

Sesab orienta que baianos que irão viajar para SP se vacinem contra sarampo — Foto: Susan Hortas/Divulgação
Sesab orienta que baianos que irão viajar para SP se vacinem contra sarampo — Foto: Susan Hortas/Divulgação

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Pacientes tiveram contato com vírus em outros estados, segundo Sesab. Mais 103 casos estão sob investigação.

O número de casos confirmados de sarampo na Bahia subiu de 3 para 4, segundo o último balanço da doença, divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) nesta quinta-feira (5).

Segundo a Sesab, todos os pacientes diagnosticados com sarampo na Bahia contraíram o vírus fora do estado. Há casos importados da Espanha, São Paulo e Minas Gerais.

Entre os pacientes está uma menina de 12 anos, que mora em Salvador. Além dela, dois casos foram registrados em Porto Seguro, no sul do estado, e o outro em Souto Soares, na Chapada Diamantina.

Conforme a Sesab, além dos casos confirmados, há 103 sob investigação. Destes, 52 estão em Salvador, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Na Bahia, segundo a Sesab, a cobertura da 1ª dose da vacina está em 63%, porém, deveria ter alcançado 95%. A 2ª dose tem cobertura vacinal de apenas 49% no estado.

A Bahia ainda não tem registro de mortes pela doença neste ano, contudo, 4 casos já foram registrados em outros pontos do país.

Em alerta divulgado na quarta-feira (4), a Sesab chama atenção de baianos que estão com viagem marcada para São Paulo, estado em que há maior incidência de casos.

A orientação é de que todos se vacinem contra o vírus antes de viajar.

O esquema de vacina por idade para o atual cenário epidemiológico, orientado pelo Ministério da Saúde, é o seguinte:

  • De 6 a 11 meses: A criança deve receber a dose zero da vacina Tríplice Viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba
  • 12 meses : 1ª dose da vacina Tríplice Viral
  • 15 meses: 2ª dose da vacina Tríplice Viral
  • 12 a 29 anos: Caso não tenha sido vacinado anteriormente, deve receber duas doses da vacina Tríplice Viral, com intervalo de 30 dias
  • 30 a 49 anos: Caso não tenha sido vacinado anteriormente, deve receber uma dose da vacina Tríplice Viral

Fonte: G1