Agência Agropecuária da Bahia regulamenta abate de jumentos

Até outubro próximo, dois mil animais devem ser sacrificados na Bahia. Foto: anda.jor.br.
Até outubro próximo, dois mil animais devem ser sacrificados na Bahia. Foto: anda.jor.br.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Até outubro próximo, dois mil animais devem ser sacrificados na Bahia. Foto: anda.jor.br.
Até outubro próximo, dois mil animais devem ser sacrificados na Bahia. Foto: anda.jor.br.

A Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada a Secretaria da Agricultura (Seagri), regulamentou o abate inspecionado de equídeos e o matadouro já iniciou a atividade sacrificando 300 jumentos, no município de Miguel Calmon. Conforme a secretaria, a portaria nº 255 que define critérios para o abate de equídeos na Bahia foi publicada no dia 29 de junho. Além disso, até outubro deste ano, dois mil animais devem ser sacrificados no estado.

Ainda de acordo com a Seagri, a maior parte dos jumentos foi capturada em rodovias estaduais e federais, na Bahia. A regulamentação do abate tem como foco a abertura de novos mercados e a exportação de pele para a China. Além disso, a carne deve ser fornecida ao zoológico e o resíduo restante será transformado em ração animal. A secretaria destacou que a legislação proíbe o abate de equídeos para o consumo humano.

O abate dos animais, segundo a Seagri, contou com a inspeção de cinco médicos veterinários da Adab. Antes de ir para o matadouro, os animais são encaminhados a uma propriedade para realização de exames clínico e laboratorial. Só são abatidos os jumentos que pesem, no mínimo, 100 quilos. O procedimento é praticamente igual ao realizado com bovinos.

Do G1.