Família acusa professora de agressão contra criança em Salvador

Ele levou três pontos no corte sofrido na língua.
Ele levou três pontos no corte sofrido na língua.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Ele levou três pontos no corte sofrido na língua.
Ele levou três pontos no corte sofrido na língua.

A família do garoto G. C. S, 4 anos, acusa uma professora do Clube de Mães de Dom Avelar/Educandário e Creche Renovação de lesionar a língua da criança com uma faca. Conforme os familiares do menino ao jornal A Tarde, ele é aluno da instituição e foi agredido, na última quarta-feira (13), na creche localizada na rua Raposo Tavares, no bairro de Dom Avelar, em Salvador.

“Meu filho voltou da escola com a língua cortada e a orelha esquerda machucada. Ele disse que deu língua à professora e ela meteu a faca”, afirma a mãe da criança, a dona de casa Joátila Bispo Conceição, 28 anos.

De acordo com ela, em casa o garoto disse à irmã de 9 anos que bateu o rosto na mesa. Duas tias do menino, uma de 13 anos e outra de 16 anos, voltaram à instituição. “A professora disse que ele não chorou e achava que deveria ter batido a boca na mesa ou no parque”, conta a tia de 16 anos.

A professora e as tias levaram a criança à UPA de São Marcos, onde foram orientadas a buscar uma unidade maior. A mãe, Joátila Conceição, foi com o garoto para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde ele levou três pontos na língua e foi medicado.

A versão sobre a agressão ter sido cometida pela professora foi dada pelo menino em conversa com a mãe. “Foi minha professora que cortou porque eu tava correndo”, afirma a criança. “Foi a unha dela. Ela puxou assim”, declara o garoto sobre o ferimento na orelha. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca).