Fernando Baiano vai para prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica

O lobista e operador de propinas foi preso em dezembro de 2014
(Foto: Reprodução / Gisele Pimenta - Estadão Conteúdo)
O lobista e operador de propinas foi preso em dezembro de 2014 (Foto: Reprodução / Gisele Pimenta - Estadão Conteúdo)

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
O lobista e operador de propinas foi preso em dezembro de 2014 (Foto: Reprodução / Gisele Pimenta - Estadão Conteúdo)
O lobista e operador de propinas foi preso em dezembro de 2014 (Foto: Reprodução / Gisele Pimenta – Estadão Conteúdo)

O delator Fernando Falcão Soares, o Fernando Baiano, vai deixar a prisão em regime fechado da Operação Lava Jato, nesta quarta-feira (18), e passará um ano em regime de prisão domiciliar sob monitoramento de tornozeleira eletrônica. Baiano é um dos delatores do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Apontado como operador de propinas do PMDB no esquema de corrupção que se instalou na Petrobras entre 2004 e 2014, Baiano fez delação premiada, homologada pelo Supremo Tribunal Federal em setembro. Por sua revelações, Baiano vai para casa. Em seus depoimentos, Fernando Baiano revelou encontros na casa de Eduardo Cunha para cobrar propina atrasada. Ele citou Cunha como beneficiário de valores ilícitos do esquema de propinas da Petrobras.