Garota internada sob suspeita de envenenamento recebe alta

Menina que brincava com gêmeas morreu pouco
tempo após passar mal. Foto: Reprodução/TV Bahia.
Menina que brincava com gêmeas morreu pouco tempo após passar mal. Foto: Reprodução/TV Bahia.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Menina que brincava com gêmeas morreu pouco tempo após passar mal. Foto: Reprodução/TV Bahia.
Menina que brincava com gêmeas morreu pouco tempo após passar mal. Foto: Reprodução/TV Bahia.

Teve alta nesta terça-feira (12), a menina de seis anos que estava internada no Hospital do Subúrbio (HS), em Salvador, desde o dia 5 de julho, após uma suspeita de envenenamento ocorrida no município de São Francisco do Conde. A informação foi confirmada ao G1 por uma tia da garota.

A irmã gêmea da criança, que também estava internada no HS, morreu na madrugada da segunda-feira (11). O corpo dela foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Salvador e até a noite não havia sido liberado. Ainda não há informações sobre o enterro da garota. A menina foi a segunda vítima do caso que envolveu outra garota de sete anos.

Caso

As irmãs gêmeas e a outra criança eram vizinhas e passaram mal enquanto brincavam nas proximidades de casa, em São Francisco do Conde, na tarde do dia 5 de julho. Elas foram levadas para o Hospital de Madre de Deus, mas a menina de sete anos morreu logo depois de chegar à unidade de saúde. Ela foi enterrada na quinta-feira (7).

Após o primeiro atendimento, as gêmeas foram transferidas para o HS, em Salvador. Em contato com o G1, uma tia das gêmeas afirmou que um exame feito na unidade de saúde apontou que as garotas foram intoxicadas por chumbinho, veneno popularmente usado para matar ratos.

Pelo fato das crianças terem dado entrada inicialmente no Hospital de Madre de Deus, agentes da Polícia Civil do município estiveram no local onde elas brincavam e colheram amostras de objetos que estavam na região. Em seguida, o caso foi transferido para a Delegacia de São Francisco do Conde, que prosseguiu com as investigações. A polícia ainda divulgou detalhes das investigações.