Grupo suspeito de planejar atos terroristas é preso no Brasil

Foto: Reprodução/Hype Science
Foto: Reprodução/Hype Science

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Faltando 15 dias para o início da Olimpíada no Rio de Janeiro, dez pessoas suspeitas de planejarem atos terroristas no Brasil foram presas nesta quinta-feira (21) pela Polícia Federal. As prisões ocorreram em 10 estados e todos os detidos são brasileiros.

Em entrevista para a imprensa, o ministro da Justiça Alexandre de Moraes falou que o grupo se comunicava por aplicativos de trocas de mensagens. “Eles passaram de simples comentários sobre Estado Islâmico e terrorismo para atos preparatórios”, disse.

De acordo com a assessoria do Ministério da Justiça, as prisões ocorreram no Amazonas, Ceará, Paraíba, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Na entrevista, o ministro afirmou que foram cumpridos 10 dos 12 mandados de prisão expedidos.

Em nota, a Polícia Federal informou que cerca de 130 policias participaram da ação. Foram dez prisões temporárias, duas conduções coercitivas e 19 buscas e apreensões.

“As investigações tiveram início em abril com o acompanhamento de redes sociais pela Divisão Antiterrorismo da Polícia Federal – DAT. Os envolvidos participavam de um grupo virtual denominado Defensores da Sharia e planejavam adquirir armamentos para cometer crimes no Brasil e até mesmo no exterior”, diz a nota.

Os investigados vão responder pelos crimes de promoção de organização terrorista e realização de atos preparatórios de terrorismo. A pena para o primeiro crime é de cinco a oito anos de prisão, além do pagamento de multa. Para quem executa atos preparatórios, a pena varia de três a 15 anos de prisão.