Professores da Uefs negam acúmulo impróprio de cargos

Governo assumiu erro na acusação. Foto: Divulgação/Jornal A Tarde.
Governo assumiu erro na acusação. Foto: Divulgação/Jornal A Tarde.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Governo assumiu erro na acusação. Foto: Divulgação/Jornal A Tarde.
Governo assumiu erro na acusação. Foto: Divulgação/Jornal A Tarde.

Seis docentes com dedicação exclusiva na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), citados na lista de professores das universidades estaduais que teriam cometido acúmulo irregular do cargo, contestaram a informação passada pela Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb). Na lista divulgada na semana passada aparecem os nomes de 164 servidores (sendo 40 da Uefs) como autores da irregularidade, que teria ocasionado prejuízo estimado em R$ 11,5 milhões aos cofres públicos.

“Eles solicitaram ao INSS informações sobre o recolhimento através do nosso CPF e sem a devida atenção se precipitaram em nos acusar, sem ao menos nos ouvir. Sequer observaram se o recolhimento era constante ou esporádico, como aconteceu com a gente. Na nota divulgada pela Saeb eles utilizam a palavra operação, como se fôssemos uma quadrilha”, lamenta Fabíola Silva Oliveira Vilas Boas. Dia 18 último, o grupo esteve com o corregedor Luís Henrique Brandão, que após receber os documentos dos professores teria reconhecido o erro e se comprometido a divulgar nota pública no final da apuração.

Com informações do site do jornal A Tarde.