Suspeito de matar cobrador era fugitivo

Acusado preso em Itinga. Foto: Divulgação/ SSP.
Acusado preso em Itinga. Foto: Divulgação/ SSP.

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no email
Acusado preso em Itinga. Foto: Divulgação/ SSP.
Acusado preso em Itinga. Foto: Divulgação/ SSP.

O acusado de matar o cobrador Djanilson Miranda dos Reis, 35 anos, na terça-feira (2), na Estrada do Coco, Anderson Nunes dos Santos, 33, foi apresentado nesta segunda-feira (8), na sede da Secretaria de Segurança Pública, no CAB. Conhecido como “Buda”, o suspeito é fugitivo da colônia penal Lafayete Coutinho, onde cumpria pena em regime aberto por roubo e furto.

Ele foi encontrado pela polícia no Condomínio Dona Lindú, em Itinga, na noite da última quinta-feira (4), no apartamento de Tiago Azevedo França, que também foi preso. Na apresentação, Anderson Santos contou que entrou no primeiro coletivo que avistou, com o objetivo de conseguir dinheiro para comprar droga, e disse ter agido sozinho. No depoimento, Tiago França afirmou não saber sobre o suposto envolvimento de “Buda” no assalto, só que ele tinha brigado com a mulher e que ia ficar na sua casa por alguns dias. A polícia entendeu que o suspeito omitiu o crime e liberou o dono do apartamento, além da mulher do acusado.

Crime

O homicídio ocorreu durante um assalto por volta das 23h, quando o coletivo que fazia a linha Vilas do Atlântico/Praça da Sé parou no ponto em frente ao Maxxi Atacado, na Estrada do Coco. No local, um homem teria entrado no ônibus com um azulejo afiado e anunciado o assalto. Djanilson dos Reis teria se assustado com o anúncio do assaltante e recebido um golpe no pescoço. Havia cerca de 15 passageiros dentro do coletivo no momento do crime, de acordo com informações da 52ª Companhia Independente de Polícia Miliar (CIPM/Lauro de Freitas). Segundo colegas do cobrador, o assaltante desceu do ônibus logo depois de ferir Djanilson Reis, alguns metros depois do ponto onde ele teria entrado no transporte.

Com informações do jornal *Correio.