Começou neste domingo (8/11) as vendas dos ingressos com valor de meia para o duelo entre Brasil e Peru, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, na Arena Fonte Nova. Os bilhetes estão sendo vendidos nas bilheterias do próprio estádio, que também venderá inteira, com pagamentos apenas em dinheiro, e pela internet. A comercialização nas bilheterias, que é de inteira responsabilidade da CBF e da Arena Fonte Nova vai até o dia 10 de novembro. É importante lembrar que o jogo seguirá as mesmas regras da Copa do Mundo, portanto, cada torcedor deverá obedecer a numeração e assento do seu ingresso.

Confira os valores:
Todo o anel superior (3º anel) terá o valor de R$ 30 (meia) e R$ 60 (inteira).
Anéis intermediário (2º anel) e inferior (1º anel) será cobrado R$ 60 (meia) e R$ 120 (inteira). Os torcedores ainda terão à disposição o Lounge Premium, com valor de R$ 200, e os camarotes, ao preço de R$ 300 por pessoa.

(Aratu Online)

Foto: Reprodução/ http://hemocord.com.br/

Foto: Reprodução/ http://hemocord.com.br/

Quando se fala das causas da obesidade, dificilmente as pessoas a associam aos primeiros hábitos alimentares, ou seja, ao leite materno. Mas as pesquisas atuais têm indicado, dentre os inúmeros benefícios do leite materno, o de ser um fator de proteção para a obesidade infantil e na adolescência. Lembrando que o leite materno é o melhor alimento do bebê até os 6 meses de forma exclusiva e 2 anos ou mais com alimentação complementar, o leite materno tem todos os nutrientes necessários para o bebê.

O bebê regula o tempo e a quantidade das mamadas. Isto ocorre por causa da quantidade de gordura que lhe dá a sensação de saciedade, o que favorece um ajuste do peso. Esta sensação também é regulada pelo hormônio presente no leite conhecido como leptina. Isso já não ocorre com o leite artificial, já que quem regula a quantidade é a pessoa que dá. Bebês que são amamentados no peito ganham menos peso se comparados aos que tomam leite artificial. No entanto, uma das crendices mais comuns é que o leite materno é fraco e que não alimenta suficientemente o bebê. Daí, acontece das mães após a mamada, oferecerem a mamadeira com o leite artificial, o que faz com que o bebê aumente seu peso.

Presume-se que o leite materno pode favorecer um gosto por alimentos menos calóricos, que perdura pelo resto da vida. O leite artificial eleva os níveis de insulina, uma vez que ele contém mais proteína que o leite materno, o que pode estimular um depósito maior de gordura no organismo. Importante citar também, que o efeito do aleitamento materno é cumulativo: quanto mais tempo o bebê é amamentado, menos risco de excesso de peso para o bebê, de 6 a 10% menos. Daí a importância de amamentar de forma exclusiva até os 6 meses.

Outro dado importante é a relação feita entre o peso do bebê até os 4 meses e o peso na vida adulta. Bebês que ganham muito peso nesta fase, tendem a serem obesos no futuro. Também foi verificado que crianças e adolescentes que nunca tinham recebido leite materno, apresentaram duas vezes mais risco de se tornarem obesas na infância. Não há ainda conclusões que comprovam a relação causal entre obesidade a aleitamento materno, mas há fortes evidências.

Desta forma, recomenda-se um grande investimento na alimentação nos primeiros anos de vida, quiçá na primeira hora. No Brasil, na última pesquisa de prevalência publicada em 2009, apenas 41 % das mães estavam amamentando de forma exclusiva e a duração mediana do aleitamento materno em 11,2 meses, o que está longe do ideal, embora tivéssemos melhorado.

Daí a importância das campanhas e da educação para a saúde que trabalhe sobre os benefícios do leite materno, tanto do ponto de vista nutricional, como odontológico, fonoaudiológico, da linguagem, cognitivo, imunológico, econômico, dentre outros. Sem contar as vantagens para a mãe. Porém, sabemos que há vários fatores de risco para o desmame precoce, dentre eles: a idade da mãe, o trabalho, os mitos e crendices, a falta de apoio, o desejo de amamentar, a experiência bem sucedida, o tipo de parto.

Nesse sentido, o Proama (Projeto Amamentar), coordenado pela professora Silvia Marina Anaruma, é um projeto de extensão à comunidade, desenvolvido pela Unesp, dentro do Departamento de Educação do Instituto de Biociências de Rio Claro, com o objetivo de reunir os segmentos da sociedade envolvidos com a questão do aleitamento materno.

Com o objetivo de defender e incentivar a amamentação, o Proama vem atuando há 17 anos, alcançando um significativo reconhecimento, através de cursos, produção de material didático, orientações à mães e profissionais e parcerias com o setor público e privado.

Foto: Reprodução/ Agência Brasil

Foto: Reprodução/ Agência Brasil

O prefeito de Mariana, Duarte Júnior, de 35 anos, foi internado na manhã de hoje (8) e passa por uma bateria de exames no Hospital Monsenhor Horta. A suspeita é que ele tenha sofrido um princípio de infarto na manhã de hoje. Segundo boletim médico divulgado há pouco pela assessoria de imprensa do prefeito, “foi constatada alteração no exame de eletrocardiograma nos primeiros atendimentos feitos na Policlínica Municipal”. O estado de saúde de Duarte Júnior é estável. Duarte Júnior concedeu ontem (7) entrevista à imprensa. Na avaliação do prefeito, a mineradora Samarco errou na maneira como informou os moradores sobre o rompimento de duas barragens de rejeito (que concentra resíduos do processo de mineração) no distrito de Bento Rodrigues, zona rural de Mariana, e cobrou que os responsáveis sejam identificados. “A verdade precisa ser dita e as responsabilidades apuradas”, destacou. (Agência Brasil)

 

éoychan

Foto: Divulgação

Hoje é dia de ensaio do grupo É o Tchan. A temporada de Ensaios de Verão com Beto Jamaica e Compadre Washington fazem o público dançar ao som de um repertório que mescla antigos sucessos a novos hits como “Batedeira” e “Bota a Cara no Sol”. Xanddy, vocalista da banda Harmonia do Samba, fará uma participação especial durante a apresentação dos anfitriões. O show de abertura fica por conta do cantor setanejo Danniel Vieira.

Serviço

Data: Domingo, 08/11
Horário: 17h
Local: Clube Espanhol – SALVADOR
Valor: Pista: Masculino – R$ 70 (meia) e R$ 140 (inteira) / Feminino: R$ 50 (meia) e R$ 100 (inteira) | Área Vip: Masculino – R$ 100 (meia) e R$ 200 (inteira) / Feminino – R$ 80 (meia) e R$ 160 (inteira) / Vendas: Balcões de ingresso dos shoppings

Está disponível para consulta no portal da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Índice de Reclamações das operadoras de planos de saúde referente ao mês de setembro. Com ele, o consumidor pode comparar a atuação das operadoras de planos de saúde e, além da média das reclamações recebidas na Agência, é possível verificar os percentuais de finalização consensual e a média de abertura de processos administrativos de cada uma.

A ferramenta é atualizada mensalmente e utiliza os dados dos 3 últimos meses. Além disso, as operadoras são agrupadas por porte para que o comparativo seja mais fácil. Dessa forma: grande porte (superior a 100 mil beneficiários), médio porte (de 20 mil a 100 mil beneficiários) e pequeno porte (inferior a 20 mil beneficiários).

Alterações acompanham demanda do mercado – Recentemente, o Índice de Reclamações passou por mudanças para seguir a evolução do setor e incluir os novos indicadores. Dessa forma, foi dada mais transparência às informações veiculadas, aumentando a funcionalidade do instrumento.
Confira todas as alterações do índice.

No cálculo do Índice são computadas todas as reclamações que a Agência recebe dos consumidores por meio do Disque ANS (0800 701 9656), do formulário eletrônico na página da Central de Atendimento na internet, por carta ou presencialmente, em um dos 12 Núcleos da ANS localizados em cidades nas cinco Regiões do Brasil. Assim, a ANS mais uma vez reforça a importância dos consumidores no processo regulatório da Agência.
Veja o Índice de Reclamações e compare resultados

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O Shopping Bela Vista promete emocionar os visitantes na inauguração oficial da decoração natalina do centro de compras. O evento será realizado neste domingo (8), às 18h30. O Papai Noel vai chegar ao local para celebrar o “Natal do Carrossel”, tema da decoração de 2015. A proposta é fazer com que a magia da festa mais esperada do ano tome conta do Shopping.

A inauguração da ornamentação de Natal chega no momento em que o Bela Vista apresenta um novo posicionamento de mercado com foco na sustentabilidade, priorizando a comunidade e como um centro de compras para todos os soteropolitanos. Durante o evento vai ser apresentado ao público o novo jingle do Shopping, assinado pelo cantor e compositor baiano Carlinhos Brown.

A peça reflete o novo momento do Bela Vista e traz na sua composição características marcantes do soteropolitano, como a baianidade, a musicalidade e a fé na vida. A escolha de Brown foi pelo fato dele ser um artista que consegue agrupar tudo isso em seu estilo. Um baiano contemporâneo e à frente do seu tempo.

A festa de inauguração- O espetáculo começa com um grupo de 10 artistas performáticos, bailarinos da Cia de Dança Kika Tocchetto, além de palhaço, malabarista e perna de pau que vão interagir com o público. Outro grupo sai pelos corredores do Shopping chamando atenção dos visitantes para a chegada do bom velhinho.

Um ônibus dourado, decorado com micro lâmpadas e adereços natalinos, chegará na porta do Bela Vista trazendo o Papai Noel, junto com 20 crianças da Associação Pracatum, que desenvolve um trabalho social na comunidade do Candeal. Os pequenos estarão de camisas vermelhas, gorro e adereços com luzes piscando. No palco, um trio de músicos começará a tocar músicas natalinas instrumentais, dando as boas vindas.

O Papai Noel circulará pela decoração cumprimentando o público. Após o espetáculo, as crianças presentes poderão brincar no carrossel gratuitamente, enquanto o bom velhinho sentará no trono e ficará à disposição das crianças para tirar fotos.

Estudos recentes mostram mais satisfação sexual, saúde e acuidade mental com a idade. Foto: Reprodução/BBC Future

Estudos recentes mostram mais satisfação sexual, saúde e acuidade mental com a idade. Foto: Reprodução/BBC Future

Bem-vindo à era do envelhecimento. Habitado por mais de 800 milhões de pessoas com mais de 60 anos e por mais centenários do que a população total da Irlanda (cerca de 329 mil), o mundo está tendo que se preparar para as consequências econômicas e sociais dessa situação.

De um dilúvio de doenças à pele flácida e à perda gradual dos sentidos, a velhice é assombrada pela perspectiva de menos oportunidades e mais intervenções médicas. Mas será que há um lado bom em se juntar ao grupo dos grisalhos com mais de 60 anos?

Hoje as pesquisas científicas mais recentes sugerem que ficar mais velho não é um processo simples de decadência, e que o auge da vida pode acontecer mais tarde do que imaginamos. Vejamos aqui alguns benefícios do envelhecimento.

Mais inteligentes

Não faltam gírias para descrever os efeitos destrutivos do envelhecimento no cérebro. Mas em várias habilidades vitais, as mentes mais velhas acabam sendo mais inteligentes.

Segundo o linguista Michael Ramscar, da Universidade de Tubingen, na Alemanha, a ciência compreende mal a maneira como o cérebro envelhece. “O número de neurônios no cérebro humano atinge seu auge cerca de 28 semanas depois do nascimento, mas metade desses neurônios morre até o fim da adolescência. Como normalmente não observamos esse período como sendo de declínio, medir a capacidade do cérebro em termos de número de neurônios não é um bom indicador”.

Uma das pesquisas mais abrangentes já realizadas, chamada Estudo Longitudinal de Seattle, acompanhou as habilidades mentais de 6 mil pessoas desde 1956, avaliando-as a cada sete anos.

Enquanto os mais velhos não se mostraram tão bons em matemática e demoravam mais tempo para responder a comandos, eles eram melhores em aspectos como vocabulário, orientação espacial, memória verbal e capacidade de resolver problemas entre os 40 e 50 anos do que quando estavam na faixa dos 20.

Muitos estudos mostram que as pessoas mais velhas têm mais relações sexuais do que pensamos. Foto: Reprodução/BBC Future

Muitos estudos mostram que as pessoas mais velhas têm mais relações sexuais do que pensamos. Foto: Reprodução/BBC Future

Gary Small, que estuda psiquiatria geriátrica no Instituto de Pesquisas Cerebrais da Universidade da Califórnia, acredita que isso se deve ao conhecimento adquirido nesses anos a mais. “As pessoas desenvolvem uma perspectiva maior do que é importante, e a capacidade de resolver problemas é refinada depois de anos de prática. E há o acúmulo de certos tipos de conhecimentos – o que chamamos de inteligência cristalizada”.

É um padrão sustentado pela biologia. Os sinais nervosos são isolados pela mielina, um material gorduroso que envolve as terminações dos neurônios. A substância aumenta a velocidade com que os sinais elétricos são transmitidos, e até agora acreditava-se que era algo que se deteriorava com a idade. Não é bem assim.

“Conforme envelhecemos, o isolamento dessas terminações aumenta, na realidade. Os axônios disparam mais rapidamente em pessoas de meia-idade do que em jovens. Há um pico de desempenho dessas células cerebrais nessa época”, afirma Small.

Menos resfriados

Não é só o cérebro que se torna mais sábio com a idade. O sistema imunológico humano encontra milhões de perigos em potencial todos os dias, e precisa aprender a identificá-los.

Para isso, produzimos os glóbulos brancos do sangue, que adotam a aparência molecular de milhões de invasores diferentes. Quando reconhecem um inimigo, elas permanecem nas redondezas, formando uma “memória imunológica”. Assim, da próxima vez que o vilão aparecer, o corpo poderá reagir mais rapidamente.

Segundo John Upham, pneumologista da Universidade de Queensland, na Austrália, essa memória pode durar por muito tempo. “As pessoas que sofreram várias epidemias têm um sistema imunológico que pode se lembrar de um vírus por 40 ou 50 anos”, explica. “É verdade que essa capacidade decai a partir dos 70 ou 80 anos, mas há uma fase, entre os 40 e 70, em que o sistema imunológico se lembra dos vírus que apareceram ao longo dos anos.”

Essa proteção cumulativa significa menos resfriados: enquanto jovens na casa dos 20 anos apanham um resfriado duas ou três vezes por ano, os maiores de 50 adoecem apenas uma ou duas vezes ao ano.

Mas outras defesas tendem a se enfraquecer com a idade. O corpo produz cada vez menos novos glóbulos brancos, e elas se tornam mais lentas.

Sistemas imunológicos mais velhos também produzem menos anticorpos – proteínas que se grudam a patógenos para ajudar a identificá-los e eliminá-los.

Mas será que isso não é algo que pode salvar vidas?

Sobrevivendo a surtos

A epidemia da Gripe Espanhola, de 1918, foi a mais letal na história da Humanidade, tendo matado 50 milhões de pessoas. Mas ela vitimou mais as pessoas entre 20 e 40 anos, tidas como as mais fortes e saudáveis.

A gripe suína de 2009 seguiu o mesmo misterioso padrão, com a maioria das fatalidades entre aqueles com menos de 65 anos.

Acredita-se que os vírus fizessem o sistema imunológico de suas vítimas reagir exageradamente. Aqueles com um sistema mais vigoroso lançaram as reações mais dramáticas e prejudiciais, o que é conhecido como “tempestade de citocinas”.

Uma resposta imunológica saudável depende de um feedback positivo – quando um patógeno é encontrado, os tecidos do entorno liberam mensagens químicas, chamadas citocinas, pedindo ajuda.

Ao chegarem ao local, as células são incentivadas a liberar substâncias também, o que faz com que novas células sejam “chamadas”. Às vezes, essa volta foge do controle, matando células saudáveis e levando a uma inflamação potencialmente fatal.

Ainda não se sabe o que detona as tempestades, mas as pesquisas levaram a um novo tratamento para a gripe que age na tempestade, e não no vírus.

Alergias em declínio

Boas notícias para quem sofre de alergias: enquanto as verdadeiras causas do problema ainda estão sendo discutidas por cientistas, sabemos que todas as alergias são mediadas por anticorpos. O principal culpado é a imunoglobulina E. Como outros anticorpos, sua produção diminui com a idade.

Mitchell Grayson, do Hospital Infantil de Wisconsin, afirma que quanto mais velho ficamos, menos severos serão os sintomas. “A doença alérgica atinge seu pico na infância e tende a diminuir na adolescência ou após os 20 anos. Aos 30, pode haver uma recaída, mas aos 50 ou 60, os sintomas tendem a ser menos frequentes”.

Sexo mais prazeroso

Muitos estudos também mostraram que as pessoas mais velhas têm mais relações sexuais do que pensamos – e elas costumam ser mais satisfatórias também.

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de San Diego sobre a atividade sexual e a satisfação de mulheres com mais de 80 anos descobriu que metade delas ainda tinha orgasmos “todas as vezes” ou “na maioria das vezes” durante o sexo.

Outros estudos chegaram a conclusões tão surpreendentes quanto essa – uma pesquisa com pessoas acima dos 60 revelou que 74% dos homens e 70% das mulheres reportavam uma satisfação sexual maior do que quando tinham seus 40 anos.

Tara Saglio, psicanalista terapeuta de casais em Londres, acredita que isso se deve ao fato de as mulheres mais velhas terem menos inseguranças. “As mulheres mais velhas têm mais confiança em expressar sua sexualidade. É isso o que torna o sexo melhor”, explica.

Menos enxaquecas

A enxaqueca também se torna um problema menos frequente conforme envelhecemos. Um estudo da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, com pacientes com mais de 18 anos, descobriu que as crises ficam mais curtas, menos intensas e menos recorrente com a idade.

Menos suor

As glândulas sudoríparas encolhem e se tornam menos numerosas conforme ficamos mais velhos. Uma pesquisa da Universidade Estadual da Pensilvânia mostra que pessoas na faixa dos 20 anos pode transpirar mais do que quem tem mais de 50 ou 60 anos.

Enganando a morte

Ainda não se convenceu? Até mesmo na idade avançada, a morte pode não estar tão perto quanto se espera. As pessoas mais velhas estão mais saudáveis do que nunca e ainda têm boas chances de continuar assoprando velinhas, segundo um estudo realizado na Dinamarca.

No período entre 2011 e 2014, a expectativa de vida para um jovem de 25 anos foi de 84 anos para mulheres e 80 para homens, enquanto uma pessoa de 95 anos poderia esperar chegar a seu 98º (mulheres) ou 97º aniversários (homens).

Mesmo com 80 anos, as mulheres têm 95% de chance de viver um ano a mais.

*BBC Future

Jorge Portugal, professor e secretário de Cultura do Estado, deu uma aula de Português e Redação, além de dicas aos alunos. Foto: Carol Garcia/GOVBA

Jorge Portugal, professor e secretário de Cultura do Estado, deu uma aula de Português e Redação, além de dicas aos alunos. Foto: Carol Garcia/GOVBA

Motivados pelas ações educacionais, em unidades prisionais da Bahia, 890 detentos se inscreveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Aspirando a liberdade e a reinserção social após o cumprimento da pena, eles se empenham na rotina diária em sala de aula com os professores na modalidade Educação para Jovens e Adultos (EJA).

As provas nas unidades prisionais de todo o País acontecem nos dias 1º e 2 de dezembro próximo, e, na manhã deste sábado (7), cerca de 50 internos do Complexo Penitenciário da Mata Escura participaram do ‘Aulão Inaugural para o Enem 2015’. O professor e secretário de Cultura do Estado, Jorge Portugal, na condição de voluntário, deu uma aula de Português e Redação, além de dicas aos alunos. Ele também elogiou a iniciativa da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap).

“Hoje estou me sentindo um professor mais responsável ainda. Na condição de secretário sairei daqui [levando] o compromisso de formular parcerias com o sistema prisional, como o incentivo à produção artística e cultural dos detentos, criação de projetos especiais para premiar pessoas que escrevem poesias, contos, que trabalham na área de artes plásticas, dar visibilidade a isso e aumentar a autoestima dos internos”, destacou Portugal.

Ele disse ainda que ficou impressionado com as diversas atividades realizadas no complexo prisional, como a Oficina de Artes e os galpões onde são fabricadas peças de alumínio, estopas, baldes plásticos, entre outros itens.

O superintendente de Ressocialização Sustentável da Seap, Luis Antônio Fonseca, afirmou que a ideia é devolver o apenado ao convívio social numa condição melhor do que na época quando entrou no sistema prisional. “Não importa pra gente o crime que ele cometeu. Nosso papel é vigiar, mas também procurar a cada dia, por meio de um trabalho técnico, específico com a família, assistente social, psicólogo, com os agentes penitenciários e os servidores como um todo, retornar este homem à sociedade na categoria de cidadão, de onde ele nunca deveria ter saído”.

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em um acidente entre dois jet skis na noite deste sábado (7), na Marina da Ribeira, em Salvador. De acordo com informações da Capitania dos Portos da Bahia (CPBA), as motos aquáticas ‘Luta e Fé’ e ‘Leos’ se chocaram no mar por volta de 19h.  Pedro Carvalho Santana, piloto da primeira embarcação, ficou desacordado e não resistiu aos ferimentos.

Uma equipe de Inspeção Naval foi enviada ao local pela A CPBA, mas não encontrou o homem e a mulher que ocupavam o outro jet ski. Conforme informações da Central de Polícia, o piloto sofreu uma fratura no braço, foi atendido por uma viatura do Salvar e encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE). A Capitania dos Portos instaurou um inquérito para apurar as causas do acidente.

Equidade de gênero no mercado de trabalho vai demorar 80 anos. Foto: Reprodução/O Potiguar

Equidade de gênero no mercado de trabalho vai demorar 80 anos. Foto: Reprodução/O Potiguar

Apesar do aumento de mulheres no mercado de trabalho nas últimas décadas, a equidade com os homens pode levar até 80 anos, segundo o Relatório Global de Equidade de Gênero, do Fórum Econômico Mundial.

Para tentar diminuir esse tempo, equivalente a uma geração, pesquisa feita com líderes de 400 empresas ao redor do mundo indicou que três medidas prioritárias podem ser tomadas. Todas relacionadas ao engajamento da corporação na estratégia.

As medidas constam do estudo Women Fast Forward, feito pela consultoria Ernst & Young (EY) e apresentado hoje (9) no Rio de Janeiro. O trabalho indica como prioridade: “Iluminar o caminho para a liderança feminina, acelerar a mudança na cultura empresarial com políticas corporativas progressistas e construir um ambiente de apoio”, alicerçado no combate ao preconceito “consciente e inconsciente”, para aumentar o ritmo das empresas rumo à equidade.

De acordo com Tatiana da Ponte, sócia de Impostos da EY no Brasil, uma das principais vantagens da paridade é o ganho financeiro. Entre as empresas pesquisadas, 64% daquelas com melhores resultados econômicos encorajam suas funcionárias. Isso se deve, segundo ela, ao aumento da participação na tomada de decisões e favorece a visão global.

“Não é porque isso [a visão global] é mais da mulher ou do homem. É porque o aumento da participação gera diversidade. São opiniões diferentes subsidiando as decisões”, explicou.

Para desenvolver as estratégias, Tatiana esclareceu que é preciso definir oportunidades de progresso na carreira e dar exemplos. “Não adianta defender a diversidade e não ter mulheres nos conselhos, na direção”, disse. “As funcionárias precisam se ver nesses cargos para acreditar que dá para chegar lá”, completou. Outra medida, segundo ela, é a flexibilidade na carga horária, adotando prazos mais longos, por exemplo, para licença maternidade ou paternidade.

“Estamos caminhando para um momento em que não só a mulher tem que achar espaço no mercado de trabalho, o homem também tem que achar um espaço na família. Quando a divisão de tarefas for mais igual para os dois lados, todo mundo ganhará, principalmente, os filhos. A presença mais atuante do pai na formação dos filhos nos dá crianças mais fortes”, afirmou.

Outra pesquisa sobre a participação de mulheres no mercado de trabalho da EY apresentada hoje descobriu que a vivência no esporte pode ajudar nos negócios. Com base em 400 entrevistas, a consultoria identificou que, na hora de tomar decisões importantes, aquelas mulheres que foram atletas são mais determinadas, guiadas por valores éticos e pelo espírito de equipe.

“O esporte ensina habilidades de liderança intangíveis que não podem ser ensinados na escola”, disse Beth Brooke-Marciniak, vice-presidente de Políticas Públicas da EY e ex-atleta de basquete.

No Brasil, a ex-nadadora Fabíola Molina, com três medalhas olímpicas, que foi acompanhada por projeto de incentivo à presença de mulheres atletas no mundo dos negócios, confirma a tese. Desde 2013 ela dirige a própria empresa, de roupas de natação e moda praia, e afirma que o espírito de superação e a imposição de objetivos é fundamental para bater metas.

“Aprendi com o esporte, por exemplo que eu aplico na empresa, é a questão da perseverança, não desistir diante das dificuldades, porque no mundo corporativo, assim como no esporte têm muita”, contou Fabíola. “É preciso acredita no caminho e no seu potencial”, declarou.

Outras habilidades que são desenvolvidas pelo esporte são a capacidade de visão de longo prazo e de montar e manter as equipes motivadas, segundo as próprias entrevistadas.

*Agência Brasil

Unit´